Av. Antônio Marquês Figueira, 1661 - Vila Figueira

Óleo
Tão importante quanto abastecer é lubrificar
Os lubrificantes automotivos são elementos que atuam para diminuir ou evitar os efeitos do atrito frequente entre alguns materiais móveis do veículo, que pode causar calor excessivo e desgastes dos componentes. Os lubrificantes formam uma camada na superfície das peças e reduz o contato entre a superfície e a corrosão gerada pelo calor, durante o atrito. Os óleos lubrificantes também minimizam o desgaste das peças, limpam as superfícies internas dos compartimentos e protegem contra a corrosão. 

Tipos de óleo Os tipo de óleos lubrificantes estão classificados em sintético, semissintéticos e mineral. A diferença entre eles está no processo de desenvolvimento dos óleos básicos. O óleo mineral é obtido a partir da separação dos componentes do petróleo, durante o processo de refino e caracteriza-se pela mistura de hidrocarbonetos. A obtenção do óleo sintético acontece através da reação química de plantas petroquímicas. Em sua fabricação há maior controle o que permite o desenvolvimento de outros produtos, por isso, esse tipo de óleo é mais estável e mais resistente ao envelhecimento, se comparado ao mineral. Assim como os óleos sintéticos, os semi-sintéticos também são mais resistentes e duráveis. A mistura desses dois óleos com o mineral não é recomendada, por causa da diferença de viscosidade e desempenhos entre eles. Enquanto o circuito de lubrificação atua no motor, partículas de metal, oxidantes, poeira e sujeiras são liberadas em seu processo. O filtro de óleo do motor é um componente desse sistema que impede a interferência dessas partículas no circuito de lubrificação.
Filtros Se for usado e trocado de forma correta, o filtro preserva o motor, mantendo a potência e o rendimento conforme suas características originais e, ao mesmo tempo, mantêm a circulação e eficiência do óleo lubrificante em uniformidade durante o período recomendado. Além disso, o filtro de óleo ajuda na preservação das peças móveis do motor. Sua troca deve ser feita junto com a troca do óleo lubrificante.
Troca de óleo A troca de óleo deve ser feita seguindo rigorosamente as informações do manual do fabricante de cada veículo. Na grande maioria dos casos, essa substituição é feita a cada 5 ou 10 quilômetros (5 mil km para oleo mineral e 10 mil km para semi sintetico e sintetico) ou a cada seis meses, pois é importante levar em consideração fatores como oxidação do lubrificante e a volatividade de alguns aditivos usados na fórmula do óleo. Se passar desse período o fluído pode perder o poder de lubrificação, de limpeza e de combater a formação de borra no motor. Existem ainda casos em que é necessário realizar a troca antes desse período, isso pode acontecer em carros que enfrentram congestionamentos frequentes ou que costumam transitar em ruas e estradas de terra. De qualquer forma, quando for realizar a troca procure um profissional especializado e evite usar um óleo diferente do recomendado pela montadora. Caso a substituição não seja feita dentro do prazo recomendado e pelo óleo adequado, o motor se desgastará mais rapido e pode até causar uma pane, fazendo o motor parar de funcionar, e exigindo sua substituição. Se você perdeu o prazo de troca fique atento, quando a luz de óleo acender no painel do veículo pare-o imediatamente, desligue o motor e procure um mecânico.